Você está visualizando atualmente TRANSFORME O SEU NEGÓCIO: O que sua empresa tem a aprender com as grandes marcas

TRANSFORME O SEU NEGÓCIO: O que sua empresa tem a aprender com as grandes marcas

ESTRATÉGIA DE COMUNICAÇÃO: O QUE MUDOU?

Para se ter um bom resultado no negócio, há muito tempo, bastava comunicar. Não importava “o quê”! A intenção era ser visto. E praticamente, quase tudo que era visto, era vendido. O fato é que hoje, para cada produto ou serviço, temos dezenas de opções. A internet democratizou a forma de se comunicar, dando voz a todos, independente do tamanho. A internet se consolidou como uma ótima opção de plataforma de Comunicação, principalmente para os pequenos e médios negócios, pois é mensurável e financeiramente acessível.

Quando sua marca se comunica bem, você cria um contexto de expectativas. O produto é
emocionalmente pré-qualificado antes que a compra seja feita.” Robert Brunner

O desafio é conseguir se comunicar sem ser julgado como mais um, nesse caldeirão de ofertas commodities. Todos nós sabemos que o objetivo do negócio é ter lucro, mas o mundo e as pessoas mudaram. E para ter sucesso é necessário fazer parte da vida das pessoas, tornar-se relevante. Mas como tornar-se relevante?

Existe um cara chamado Simon Sinek, que ficou bem conhecido por difundir um conceito que ele chama de “Golden Circle”. Ele também é autor de um livro chamado “Start With Why”. Bem interessante, recomendo a leitura!

O que ele diz é que, para conectar com as pessoas você deve começar compreendendo por que faz o que faz.

 

Este conceito é extremamente rico mas vá com calma, pois não basta uma marca ou um profissional dizer que se importa com seu cliente, com o ambiente, com a pobreza, ou o racismo – causas com as quais se vinculam frequentemente -, mas realmente se importar.  Sair do discurso e fazer com que esse porque deixe de ser a cereja do bolo, para ser parte do negócio, estar inerente na oferta, na rotina e apenas então, em sua Comunicação.

Para isso acontecer, vale ressaltar que você e toda sua empresa precisam, verdadeiramente, acreditar nisso. Do contrário o propósito será apenas uma frase! Nada mais que isso!

E o que as grandes marcas fazem?

Uma marca que se destacou em 2013 foi a DOVE, com a campanha “Retratos da beleza real”. Ela teve um aumento de vendas em todos os seus produtos, apesar de não citar nenhum deles, na campanha que se tornou um dos maiores virais de marca do mundo.

Tudo isso porque ela conseguiu demonstrar na sua campanha o seu propósito de marca, criando um vínculo emocional com milhares de mulheres ao redor do mundo. Vale citar que não é de hoje que podemos perceber a coerência na forma que comunicam a marca.

E não são perfeitos, já tiveram campanhas que foram questionadas pelo público e pela mídia em geral.

As oportunidades estão em todo lugar

O vídeo “How the sun sees you”, do fotógrafo Thomas Leveritt, foi destaque, porém desta vez como não-case de marca. Em canais direcionados aos profissionais de comunicação e marketing recebeu o título de “O vídeo que toda marca de protetor solar queria ter criado”.

Trata-se de um experimento em que, com uma câmera e luz ultravioleta era possível ver os danos, impressionantes, causados pelos raios do sol em peles aparentemente “perfeitas”.

Simples mas que nenhuma marca havia pensado!

E o que sua empresa pode fazer?

Diga adeus aos velhos métodos e discursos de venda. A oferta é muita, a acessibilidade é  infinitamente maior, as pessoas estão mais seletivas e “conscientes”. O conselho aqui é você aceitar o desafio de transformar sua comunicação em um convite a um relacionamento.

E seu grande aliado nesse desafio e que tem forte influência na comunicação é a personalidade de marca. Assim como uma pessoa, seu negócio deve ter uma personalidade. Afinal, Pessoas se  conectam com Pessoas.

Atribuindo ao seu negócio características humanas, a personalidade orientará toda comunicação, estratégias e as pessoas que constroem sua marca. E sim, existem métodos que auxiliam na “descoberta” dessa personalidade.

Você pode também fazer um estudo mais profundo sobre quem é o seu publico, desta forma você saberá qual é a melhor forma de comunicar-se com ele e construir as ofertas de seu negócio. Esse estudo envolve estudos de comportamento e até neurociência. A ideia é que, entendendo o que move as pessoas e como respondem aos estímulos, sua oferta poderá ser bem recebida pelo seu público.

claro, olhar com carinho para comunicação digital, pois as ferramentas de monitoramento entregam dados, que se bem interpretados, são espelho do comportamento de seu público. Logo, você poderá construir uma ótima Estratégia de Comunicação. E o Marketing Digital pode ser a principal forma
de comunicar seu negócio! (ou de se queimar, se você não for criterioso!)

E por fim, o básico: você deve falar do seu cliente e para o seu cliente. Não seja egocêntrico. Seu cliente quer saber o que você pode fazer por ele. Deixe para ele a conclusão de que você é a melhor opção. blz?

 

ESTRATÉGIA DE NEGÓCIO: SOZINHA NÃO É SUFICIENTE!

As estratégias de negócio são de curto prazo e devem ser revisadas e mudadas, rapidamente,
de acordo com as respostas do mercado. Já o modelo de negócio deve ser revisado, mas mudá-lo não é tão simples quanto mudar uma estratégia.

Há uma diferença entre conhecer o caminho e percorrer o caminho.” Morpheus, Matrix

Mas mesmo assim, muitos negócios estão sendo reinventados, ou otimizados. Enquanto alguns estão paralisados, aguardando o fim.

O hábito de modelar negócios pode te ajudar a criar novas estratégias para explorar o seu mercado, identificar novas oportunidades e deixar você, empreendedor, imune às incertezas.

Talvez, você já deve ter ouvido falar em “Business Model Generation”, de de Osterwalder e Pigneur, no qual, por meio de um canvas (mapa visual), o empreendedor pode vislumbrar a lógica de como deve criar, entregar e capturar valor.

Valor é o benefício, o resultado que seu cliente terá ao adquirir seu produto ou serviço. Este canvas ajuda a mapear formas de criar e entregar valor por meio do negócio. O canvas deve ser feito de forma colaborativa, um exercício que ajuda você a pensar, interagir e cocriar seu modelo negócio  junto aos sócios, à equipe e aos parceiros.

Porém, ele pode ser o começo para você começar a tirar suas ideias no papel e também para oxigenar o seu negócio. Não se atenha ao hoje, crie o amanhã.

E o que as grandes marcas fazem?

Em 2012 a Natura chegou à conclusão que era a hora de mudar. A decisão foi investir na internet, tirando do papel a Rede Natura, que além de ser uma nova forma de se relacionar com as  consultoras, seria uma alavanca para o modelo de negócio de vendas direta.

Um projeto piloto foi criado e testado nas regionais de Campinas e São José dos Campos. Só depois de obter resultados positivos, foi estendido a todo Brasil entre 2013-2014.

Outra iniciativa interessante da Natura é o “Cocriando Natura”. Recentemente, em um congresso online (Innovation experts), a Juliana Nascimento, Consumer Cocreation and Open Innovation da Natura, apresentou como ele funciona e, melhor, como foi construído.

O objetivo do “Cocriando Natura” é criar com o cliente e parceiros, em momentos virtuais e presenciais, novos produtos, formas de atender as necessidades, ou uma nova forma de se relacionar. E enfim, algum desafio que pode ser melhor solucionado em rede.

Na palestra ela mostrou como foi criado esse programa “Cocriando Natura”, e acredite, não teve uma fórmula mágica. A base foi aprendizagem e testes, até que ganhou corpo e virou um programa. Para a fase digital, usaram o que estava disponível, o Facebook. Depois, uma plataforma que atendia  parcialmente as necessidades e, somente agora, estão criando uma plataforma especificamente para atender o programa.

Para você ter uma ideia de como funciona, veja o desafio “Transparência Radical”, do Cocriando Natura.

E o que você pode fazer?

Paralelamente as suas ações para resolver os problemas de “hoje”, ou seja, a manutenção
de suas estratégias de negócio, você deve ter iniciativas para criar o “amanhã”.

Pense: Como era o seu mercado no passado? Como é hoje? E como será no futuro?

As respostas para estas perguntas podem ser o seu primeiro passo para encontrar uma razão forte para evoluir e aflorar o desejo de repensar, recriar e evoluir o seu negócio.

Pense como engenheiro e sinta como artista.” Gary Hamel

Questione, experimente, faça protótipos e aprenda. Negócio é aprendizagem e seu “objeto de estudo” são as pessoas. Aprenda a suprir suas necessidades funcionais e emocionais.

O caminho que a Natura escolheu para investir em novas iniciativas e criar novas soluções é um caminho disponível para qualquer pessoa, negócio e marca. Basta você começar!

ESTRATÉGIA DE MARCA: O GRANDE SEGREDO

Sabe aquele sentimento de confiança, de admiração, de satisfação, de realização, de autoestima, de felicidade, ou qualquer outro sentimento bom, por ter adquirido um produto ou ter usufruído algum serviço em especial. Então, é disso que se trata uma marca!

O que importa sobre uma marca é a intuição de um indivíduo. Quando vários indivíduos têm a mesma intuição, você tem uma marca.” Robert Brunner

Se tiver um tempinho veja o vídeo: ” O que é marca afinal?”

A estratégia de marca são os meios usados para se obter uma resposta emotiva positiva dos clientes. Para isto, deve-se entender suas emoções e buscar responder a elas por meio da entrega de seu serviço/ produto/ modelo de negócio/ forma de se relacionar com o cliente.

O QUE AS GRANDES MARCAS FAZEM, É O QUE SEU NEGÓCIO PODE FAZER!

O primeiro passo é mudar a velha mentalidade de se fazer negócio pela “Mentalidade de marca”. Ou seja, o primeiro passo é fazer com que o negócio pense como uma marca.  O segundo é fazer com que o negócio haja como uma marca. E por fim, se comunique e relacione como uma marca.  A plataforma de marca transforma a velha e empoeirada Missão e Visão de negócios em Visão e missão de marca. E o que muda na prática?

Como já citei, as estratégias de negócios são transitórias e extremamente sensíveis ao mercado. Elas se estruturam a partir de objetivos e metas mercadológicos e financeiros. Ao adotar a estratégia de marca para gerenciar a experiência de seus clientes com seu negócio, deixamos a ideia de metas, para mostrar o jeito que vemos o negócio e atuamos no mercado.

Atenção, não estou falando que você tem que deixar de lado o planejamento estratégico, sua metas e objetivos de negócio. Você continuará definindo e executando suas estratégias de negócio, porém no relacionamento com o cliente, deixará inerente o que te move e porque você deseja, de certo modo, transformar a vida das pessoas.

A sua declaração de Visão e Missão, que demonstra o seu desejo, de ser a principal referência do seu setor em “x” anos (ou outra meta parecida), não tem poder suficiente para engajar e motivar as  pessoas. Não inspira. Por isso, quando se junta com a declaração de missão e valores de negócio, se torna um discurso longo que pouco diz, pouco representa e pouco orienta.

A Missão, Visão e Valores de marca se tornam uma declaração de etos, quer dizer, deixa claro a identidade, a personalidade de grupo daqueles que a constroem. Não está relacionada ao tempo, mas sim a sua essência. O fato de você ter sucesso em executar aquilo que acredita e prometeu as pessoas, é que trará os resultados de negócio que você espera.

Para fazer com que a Missão, Visão e Valores de marca se tornem rotina em sua empresa, você terá que desenvolver a personalidade da sua marca, bem como o posicionamento de marca, normatização de marca e a criação da expressão visual e verbal de marca. São alguns dos elementos que te ajudarão a dar vida e forma a tudo isso!

COMECE HOJE!

Está tudo conectado. Isoladas fazem sentido, mas ganham força quando aprendemos, orquestramos e interligamos para criar valor. Então:

Porém, valor não se cria da noite para o dia. Esse sim, demanda tempo e coerência, mas traz muitas recompensas. Se você reparou bem, não é nada que você já não tenha tentado fazer ou já faz: Hoje, você já comunica o seu negócio, tem um modelo e estratégias de negócio e, inconscientemente, constrói a sua marca.

Convido-lhe a fazer isso de forma conectada. A aprender a construir e gerenciar a sua marca
de forma consciente. Para que o resultado da sua venda, ou melhor, do relacionamento da sua marca com as pessoas seja a consolidação do valor da sua marca para o seu cliente.

 

Deixe um comentário